Encontro Paulista de Autos Antigos retorna à Campos em 2015

A famosa cidade da Serra da Mantiqueira que ganhou o carinhoso apelido de Suíça Brasileira, Campos do Jordão, sediará o Encontro Paulista de Carros Antigo em 2015. O anúncio veio durante a cerimônia de premiação dos carros de destaque, na noite de sábado, dia 03, pela organizadora do evento Edenise Carratu.

“O Encontro Paulista tem a possibilidade de ser ainda melhor, porque a cidade oferece estrutura para isso. Com a autorização do prefeito, anuncio que vamos fazer a 20ª edição do encontro novamente em Campos do Jordão. E aproveito para ressaltar que a data será do dia 18 à 21 de abril de 2015, com um evento ainda melhor e de maior sucesso”.




O prefeito de Campos do Jordão, Frederico Guidoni, comemorou: “Foi um evento fabuloso, de uma organização muito bem elaborada e que movimentou a cidade. Recebemos muitos turistas não só da região, mas de outros estados. Somente no primeiro dia, mais de 58 mil veículos já haviam subido a Serra e entrado na cidade. Ou seja, hotéis cheios, restaurantes funcionando, o Jordanense, que é um povo hospitaleiro, atendendo muito bem e deixamos a partir de agora os nossos portais abertos para receber a 20ª edição do encontro”.

The Best in Show


Depois do desfile dos 100 veículos de maior destaque do evento, eleitos pela comissão julgadora do Encontro, os 50 juízes escolheram os cinco carros das categorias especiais. O grande escolhido como “The Best in Show” foi a Ferrari de 1952, do proprietário Antônio Ricardo Beira, de Campinas.


O antigomobilista Júlio Penteado, considerado uma enciclopédia no ramo, falou sobre o exemplar, que é tido como um dos mais raros do Brasil:

“Ao todo foram produzidos apenas oito veículos e até então só se tinha o conhecimento da existência de quatro, pois o Centro Histórico Ferrari acreditava que os demais haviam sido perdidos em acidentes nas pistas. O proprietário mandou o número do chassi para a fábrica e prontamente eles enviaram um engenheiro técnico da Ferrari para ver o carro. Quando o engenheiro chegou no Brasil ele chorou, porque naquele momento foi descoberto o quinto carro, que eles acreditavam não existir mais."



E emenda. "A partir daí, eles fizeram questão de levar o veículo para a Itália, para restaurá-lo no Centro Histórico Ferrari. Lá eles têm todo o ferramental da fábrica e é onde trabalham os ex-funcionários da marca, que produziram este veículo novo há 40, 50 anos atrás. Estes senhores já estão semi-aposentados e quando aparece um carro desse, eles saem de casa para proceder a restauração”.


Outras premiações


Cerca de 500 veículos inscritos para exposição foram avaliados e quesitos como conservação, raridade e originalidade. 

Para receber os prêmios especiais, cinco veículos e uma personalidade foram escolhidos e anunciados durante a cerimônia. O Troféu Flavio Marx, destinado a um modelo escolhido pela família do antigomobilista de mesmo nome, escolheu para receber o prêmio o Armstrong Hurricane 1948, de Wolmir Cardoso, de Santa Catarina. 


O escolhido para receber o Troféu Fabio Steinbruch, que premia o melhor esportivo nacional e que é entregue pelo Alfa Romeo Club, foi o modelo Brasinca Uirapuru 1966, de José Manuel Gaspena, do Rio de Janeiro.

Já o Troféu Cláudio Borrego é destinado a uma personalidade que se destaca no meio do antigomobilismo e é entregue pelo Clube do Chevrolet. O escolhido para receber o prêmio da categoria em 2014 foi o antigomobilista Mário Ferretti.

O prêmio entregue ao melhor veículo nacional leva o nome de Troféu José Everardo Rodrigues Cosme e foi destinado ao Concorde L5 1975, da família Storani de Jundiaí.

O Troféu José Aurélio Affonso Filho – Master Regional – foi entregue ao colecionador Álvaro Tognini, também de Jundiaí/SP, proprietário do Willys Overland Whippet 1928. O vencedor desta categoria é eleito pela Federação Brasileira de Veículos Antigos (FBVA), que reconhece o veículo que está a mais tempo na mesma família.

Fonte: Prefeitura de Campos do Jordão
Compartilhe
Top Notícias em Campos do jordão Veja todas